Notícias

Retirada do restante do saque imediato de até R$ 998 do FGTS começa antes do Natal

Por Redação , 13/12/2019 às 07:05
atualizado em: 13/12/2019 às 07:06

Texto:

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Marcelo Camargo / Agência Brasil

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou nova data para o saque do FGTS. A partir do dia 20 de dezembro a população poderá sacar o fundo de garantia no novo valor de R$ 998, antes de R$ 500. A confirmação ocorreu durante live no Facebook com o presidente Jair Bolsonaro, na noite dessa quinta-feira (12).

"A Caixa irá realizar pagamento do fundo de garantia de R$ 998 a partir do dia 20 de dezembro para 10 milhões de brasileiros com total de R$ 2,6 bilhões", afirmou Guimarães. O presidente do banco público destacou ainda que a Caixa "nunca esteve tão forte do ponto de vista de marketing".

Em resposta ao presidente Bolsonaro, Guimarães comentou ainda que, se a taxa Selic seguir em queda, os juros cobrados na modalidade de cheque especial para quem tem conta salário no banco podem recuar ainda mais dos 4,9% ao mês.

o governo explica que quem tinha saldo igual ou menor que R$ 998 na conta pode sacar o valor integral. Para quem tinha saldo maior, porém, o limite do saque continua em R$ 500. A regra vale para cada conta que o trabalhador tem no fundo, e não para o somatório delas.

Nesse caso, aqueles que se enquadram na regra do salário mínimo e já sacaram os R$ 500 poderão sacar os R$ 498 restantes. O prazo limite para a retirada é 31 de março de 2020, mas os valores serão disponibilizados até o final do ano.

Sobre os percentuais de distribuição de lucro, antes limitados a 50% do resultado de cada exercício, o resultado passará a ser definido pelo Conselho Gestor, que poderá distribuir valores superiores, conforme a saúde financeira do fundo.

A lei agora sancionada também revoga o adicional de 10% sobre o FGTS que era pago para o governo, em caso de demissão sem justa causa. “Esse valor não ia para o empregado e era um simples custo tributário, o qual tinha, desde a sua instituição, uma natureza transitória. Agora, encerra-se definitivamente essa cobrança, diminuindo os custos da mão-de-obra e favorecendo a geração de emprego”, diz a nota do governo. A multa de 40% sobre o saldo da conta, paga ao trabalhador, continua existindo.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link